quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

Feliz Natal 2015

Pedal light, 30k
Saindo do Rancho Santo Antônio em Artur Nogueira indo pelas fazendas até Engenheiro Coelho

fato inusitado?
nesse caminho tem bastante areia solta, precisa ficar ligado
e no começo do pedal, fui desclipar e a sola da minha sapatilha ficou presa e a parte de cima saiu....
veja só!

 Mas o lance é
"So this is Christmas
what have you done..."

Que Deus abençoe e que o verdadeiro motivo natalino, o nascimento de Jesus, trazendo graça e misericórdia, esteja no coração de cada um.
Muitos pedais, muitas trilhas, somos gratos por tudo o que Deus tem nos dado!

Pois, na cidade de David, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor.{Lc 2.11}

#casaldamagrela

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Arthur Nogueira - Holambra

Férias.... ehhh, férias!!!

pois bem, viemos para o Rancho Santo Antônio, propriedade de meu irmão Walter e sua família, Deus os abençoe por nos deixar desfrutar desse cantinho!
claro, trouxemos nossas bikes e, como nosso primeiro passeio, indicado pelo meu bróder, fomos até Holambra.

infelizmente o caminho é todo por asfalto, digo infelizmente porque gosto mesmo é de pedalar pelas trilhas de terra, mas... olhando por outra perspectiva, digamos que fizemos uma aula puxada de bike indoor, antigo spinning
fiz um vídeo, espero que seja o meu próximo post
ás vezes questiono a compra da GoPro, principalmente quando tenho que baixar os gigantescos arquivos em MP4 e editar o vídeo... preguiça é pecado, mas que isso tudo dá uma trabalheira... :(

saímos do rancho com um pouco de sol, porém com o céu coberto de nuvens e acabou que pegamos chuva no caminho.
até chegamos rápido, mas a estrada estava um pouco agitada... encontramos com uma galera de speed, que sofre com a sujeira do acostamento... alguns pneus furados... mas nos passaram na maior facilidade, sem sofrimento!


Holambra, a cidade das flores!
a cidade de Holambra é um gracinha, desde a entrada com o moinho até o centro, todo estilizado no estilo europeu, holandês, of course ou... natuurlijk!
o caminho da entrada principal está toda enfeitada por motivos natalinos e também nos divertimos nos tamancos holandeses... o tradicional tamanco amarelo estilizado em orelhão, banco etc.




é claro que nosso instinto de formiga nos levaria à uma confeitaria, dúvida?
eu fiquei no pão de queijo e café expresso, mas o Agnaldo, hummm...

na volta já não tinha chuva, ao contrário, pegamos aquele sol ardido!

valeu
#casaldamagrela




Mais do Vale Europeu Catarinense

Fizemos o Circuito do Vale Europeu Catarinense em dezembro do ano passado, passando o Natal em Pomerode e terminando o caminho antes do final do ano. Uma delícia... diferente e inesquecível!
» pode ser lido por aqui: Vale Europeu Catarinense

Mas, algumas coisas vem depois... como uma indicação de Rui Wong para fazer nosso uniforme de ciclismo, que iremos usar no Caminho de Santiago, em 2016, se assim Deus nos permitir.

O Agnaldo foi fazer um trabalho em Timbó e aproveitou para ir até Benedito Novo conhecer a fábrica da Furbo (camisas ciclismo, motocross esportes em geral). Contato pelo Facebook

Compramos duas boas bermudas, meias e camisetas, já testadas e aprovadas (nosso passeio até Holambra, próximo post...).

Parabéns e agradecemos ao Rui Wong a indicação.




fica a boa lembrança dessa cicloviagem...
abraços amigos, tamo junto!
 #casaldamagrela

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Maratona de Louveira 2015

Por um pouco de adrenalina pensei: – Vou inscrever o Casal da Magrela numa maratona!
Maratona de Louveira, 32K, perto de casa, nenhuma pretensão além de curtir um dia de pedal, fazendo uma trilha diferente, no meio da galera...

Eu e Agnaldo sempre gostamos mais de Maratona do que das provas de Circuito, onde prevalece o tempo e a técnica. Em Maratonas, provas de longa distância, a melhor estratégia é manter o ritmo em toda a prova se preservando para aguentar até o final, porque o circuito pode ser cheio de subidas e a quilometragem é alta; mas muitas variáveis também contam no resultado, uma boa colocação no começo, conseguindo sair do meio da galera; quantas paradas fazemos, para tomar água, comer alguma coisa ou mesmo para descansar; além de problemas com a bike, um pneu furado ou algo se quebrar, não esquecendo que um competidor da nossa categoria pode ter problemas...
Prefiro a estratégia "da chegada", porque consigo desenvolver melhor meu ritmo depois de um tempo pedalando, já o Agnaldo gosta de sair acelerando pra conseguir uma boa vantagem.

Fiz a inscrição, R$ 160,00.
Sempre me empolgo com o Kit. O que será, uma camiseta, barrinha, produtos para os atletas, enfim, algo útil para quem faz exercício regularmente ou mesmo para se usar durante a maratona.
32k - pensei em não fazer paradas, mudar o meu ritmo, acompanhar o Agnaldo desde o começo, porque tomei como base as trilhas de Joaquim Egídio (Campinas/SP) que, com essa quilometragem, tiramos de letra, fazemos em duas horas, duas horas e meia parando pouco, pra descansar e comer um gelzinho.
Foi legal fazer os treinos durante a semana na academia pensando na prova, fazia tempo que não nos ocupávamos com isso.

20.09 - domingo - 7h40: – Vamos embora?!
em meia hora estávamos no local da prova, retiramos nosso kit, número da bike e fomos nos preparar.

A primeira surpresa, o kit. Mesmo com esse patrocinador (Procter & Gamble - produtos de bens de consumo nas áreas de higiene pessoal, beleza, limpeza doméstica...) eles poderiam ter pensado nos atletas, na prova, na ocasião, certo? Beleza, a ONG da igreja vai curtir!

Uma galera em peso chegando para a prova... placas pretas - categoria Pró, placas verdes como a nossa - categoria Sport. No dia da inscrição era um total de oito Duplas Mistas, seis confirmados.

Estávamos despreocupados mas sentindo o clima da competição, com aquela música agitando a galera, a contagem, a preparação pra saída e lá fomos nós...



Tentei fazer o ritmo do Agnaldo, mas ele ainda mantinha uma boa vantagem, sempre à frente, me puxando e gritando: – Vamos, acelera!
Isso mexeu um pouco comigo... sabe, quando é alguém muito próximo, que temos uma certa liberdade e essa pessoa está tentado te puxar, mas está difícil mesmo você dando o seu melhor... chega uma hora em que você não pensa duas vezes em mandá-lo as favas se necessário, mas se for alguém de fora, tipo uma amiga, você fica mais retraída, educada... então foi uma luta, manter a concentração, o ritmo, minha respiração, minha educação, enfim, só pensei na baixa quilometragem e em ver no que ía dar.

Pra testar ainda mais nossa serenidade e espírito esportivo, colou uma dupla mista que nos passou e começou a dançar na nossa frente dificultando a passagem! Pra mim eles jogaram sujo, eu estava filmando com a GoPro, dá pra ver ele fazendo zigue-zague na frente do Agnaldo e parando na minha frente bem numa subida! Ou seja, o moço não pedalava na frente da garota, ele pedalava ao lado dela, dificultando a passagem dos outros competidores! Isso não se faz, mas se eles se sentem bem assim, fazer o que né!
Apesar que se eu insistir no assunto e mostrar o vídeo para a organização, eles podem até ser desclassificados! Ah, deixa pra lá, talvez um dia eles aprendam, nossa justiça é Deus! Mas o vídeo eu vou editar e estará publicado em nosso blog.

Sei que pedalei todo o tempo no meu máximo, não me importando se os meus batimentos estavam a mil por hora, por minuto, por segundo!
Curtimos bastante o percurso, a trilha em si, foi bem sinalizada, com fiscais nos orientando quanto ao percurso ou dificuldades que encontraríamos pela frente, como a próxima descida . Os pontos de água foram cruciais, o último no quilômetro 28, perfeito!
Na chegada tivemos frutas, muita água e um bom prato de macarrão por um preço justo!

Enfim, foi um domingo de curtição, valeu a pena e ninguém tirou o brilho do nosso desafio...









#casaldamagrela
 porque nóis é um time hehe


quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Os sonhos

Como eu gosto de sonhar, quem não gosta?
Gosto de sonhar dormindo e mesmo acordada... e foi acordados que, desde 2008, estamos sonhando em fazer o Caminho de Santiago de Compostela, é só ler o post no link abaixo, escrito em Junho de 2009:

Planejando a viagem

E, com a benção de Deus, o sonho será realizado em 2016!
contando: 9 meses e 19 dias :)

Como disse um amigo ao Agnaldo:
"Chega uma idade em que, se temos vontade, temos que fazer!"

Pois então, que venha esse grande desafio, que já está sendo idealizado...

Tenho uma "prima" (Célia Maciel, mulher de Pedro Maciel Neto meu primo) que já fez o caminho duas vezes, pensei nela para mostrar nosso planejamento e pedir uns conselhos.
Marcamos um almoço e... é claro, sendo a pessoa que é, ela nos surpreendeu.


Nos trouxe os melhores livros, mapas, anotações de amigos que já fizeram o caminho, inclusive de bike, suas credenciais enfim, contando cada etapa, as dificuldades, melhores albergues, melhores cidades para parar por um dia. Também explicou que todo peregrino tem um Padrinho ou Madrinha, nos presenteando com a Concha de Vieira, dizendo que esse é um dos papéis da Madrinha.
Deus nos surpreende! Não são lindas? amei <3


» pesquisando...
Site - O Caminho de Santiago - sobre os Símbolos do Caminho

A concha de Vieira
Um dos principais símbolos do Caminho, a vieira é a concha de um marisco muito encontrado na região costeira da Galícia. De acordo com a lenda, o corpo do Apóstolo, perdido no mar, foi arrastado por correntes marítimas até uma praia da Península Ibérica, chegando intacto e coberto por conchas de vieira. Na Idade Média, a vieira era usada como amuleto contra pragas e maldições. Seu lado côncavo é utilizado em roupas, mochilas ou colares, sendo a concha natural ou com uma pintura de cruz-espada, a cruz de Santiago.

Tirando toda a logística que precisamos para começar o rabisco do nosso sonho, como passagens aéreas, equipamentos para a bike, transportes locais, enfim, cada detalhe... a concha foi o "start", tipo, agora vai...

Sonhe, persevere, lute, creia... "Trust in God, every day, trust in God!"
Jesús le dijo: Yo soy el camino, y la verdad, y la vida... {Juan 14:6}

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Vale Europeu Catarinense – 5º dia

5º e último dia
Rio dos Cedros (Palmeiras) – Timbó
53K

(nota do Guia)
"Muitas descidas íngremes e suaves são a recompensa pelos dias anteriores serra acima. Mas há uma última subida longa e bem forte (talvez a mais forte de todo o Circuito)..."
o que dizer do último dia de um passeio maravilhoso?
tudo começa e tudo acaba
o melhor de tudo é quando acaba bem
e nessa viagem só devemos é ser gratos

uma passagem de um livro que lí recentemente cabe bem aqui:

"A criação acalma nossos espíritos,
restaura nossa perspectiva e
provê alegria a cada porção do nosso ser."

Pedalar na natureza é isso:
o que vemos, as cores, os tons de verdes
o tamanho das montanhas, flores de todas as cores
os cheiros que sentimos
o azul do céu, as nuvens carregadas, as muitas águas,
um lagarto que cruza a sua frente
um enxame de moscas
um simples almoço na pedra
o canto dos pássaros
o calor do meio dia
a briza do final da tarde

Santa Catarina é de uma beleza ímpar
os nativos cuidam muito bem de suas produtivas propriedades
grama aparada, jardim florido, pessoas trabalhadoras - SHOW!

foi um tempo singular, abençoado
obrigada Senhorrrrr

PONTO POSITIVO

Todo o circuito é muito bem sinalizado
o Guia que recebemos na saída é muito bem feito, planilha nota 10
fique tranquilo e siga em frente

tirando essa última subida do Rio Cunha, onde tivemos que descer da bike, por mil motivos
dois em especial
primeiro porque a inclinação e o terrenos eram absurdos, hardy!
segundo que um sujeito de carro nos parou no meio da subida para perguntar se era aquele o caminho que levava a cachoreira kkkkk
começando a subida... 
joguei a toalha
gosto de vitória
agora é só curtir

o restante do percurso é só reta e descida
o que você pode ser programar, é sair um pouco mais cedo de Palmeiras
para não chegar nesse ponto (subida Rio Cunha) ao meio dia, como aconteceu conosco
o calor estava insuportável, sol a pino
mas passando esse topo que é forte mas curto
o restante é recompensa, como diz no Guia. Enjoy!

AGRADECIMENTOS

parabéns aos idealizadores do Vale Europeu Catarinense!
o Circuito é TOP

obrigada Rui e Angela, da Fazenda Sacramento.
vocês foram mais que anfitriões ou apoio, vocês foram paizão e mãezona!
a propriedade de vocês é um "cute", um mimo, uma delícia. tudo muito bem estruturado.
o ciclista se sente mimado :)
desejamos muita sorte e prosperidade.
beijos no Tibe, na Morena e, principalmente, na Pituca (saudades dela)

PONTO NEGATIVO

infelizmente esse circuito não tem apelo religioso, não é peregrinação
então, quem já fez uma peregrinação, de bike ou à pé, em caminhos como o da Fé ou do Sol,
sentirá uma diferença enorme quanto às pessoas que nos recebem e que trombamos pelo caminho.
a cultura local não é muito aberta a isso, os nativos não conhecem esse circuito. Se você conta que está fazendo o Vale Europeu, eles ficam com cara de Ué! nem sabem do que estamos falando.

mas...
nós, que fazemos ou não por peregrinação, podemos mudar essa história,
tudo depende de como nos portamos nos lugares, de como cuidamos da natureza por onde passamos
e, como tratamos as pessoas, os nativos.

Incentive a cultura local, seja educado, amigável,
"faça o bem e o receeberá de volta"
obrigada Senhorrrr – sem palavras... amamos