sexta-feira, 25 de setembro de 2015

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Maratona de Louveira 2015

Por um pouco de adrenalina pensei: – Vou inscrever o Casal da Magrela numa maratona!
Maratona de Louveira, 32K, perto de casa, nenhuma pretensão além de curtir um dia de pedal, fazendo uma trilha diferente, no meio da galera...

Eu e Agnaldo sempre gostamos mais de Maratona do que das provas de Circuito, onde prevalece o tempo e a técnica. Em Maratonas, provas de longa distância, a melhor estratégia é manter o ritmo em toda a prova se preservando para aguentar até o final, porque o circuito pode ser cheio de subidas e a quilometragem é alta; mas muitas variáveis também contam no resultado, uma boa colocação no começo, conseguindo sair do meio da galera; quantas paradas fazemos, para tomar água, comer alguma coisa ou mesmo para descansar; além de problemas com a bike, um pneu furado ou algo se quebrar, não esquecendo que um competidor da nossa categoria pode ter problemas...
Prefiro a estratégia "da chegada", porque consigo desenvolver melhor meu ritmo depois de um tempo pedalando, já o Agnaldo gosta de sair acelerando pra conseguir uma boa vantagem.

Fiz a inscrição, R$ 160,00.
Sempre me empolgo com o Kit. O que será, uma camiseta, barrinha, produtos para os atletas, enfim, algo útil para quem faz exercício regularmente ou mesmo para se usar durante a maratona.
32k - pensei em não fazer paradas, mudar o meu ritmo, acompanhar o Agnaldo desde o começo, porque tomei como base as trilhas de Joaquim Egídio (Campinas/SP) que, com essa quilometragem, tiramos de letra, fazemos em duas horas, duas horas e meia parando pouco, pra descansar e comer um gelzinho.
Foi legal fazer os treinos durante a semana na academia pensando na prova, fazia tempo que não nos ocupávamos com isso.

20.09 - domingo - 7h40: – Vamos embora?!
em meia hora estávamos no local da prova, retiramos nosso kit, número da bike e fomos nos preparar.

A primeira surpresa, o kit. Mesmo com esse patrocinador (Procter & Gamble - produtos de bens de consumo nas áreas de higiene pessoal, beleza, limpeza doméstica...) eles poderiam ter pensado nos atletas, na prova, na ocasião, certo? Beleza, a ONG da igreja vai curtir!

Uma galera em peso chegando para a prova... placas pretas - categoria Pró, placas verdes como a nossa - categoria Sport. No dia da inscrição era um total de oito Duplas Mistas, seis confirmados.

Estávamos despreocupados mas sentindo o clima da competição, com aquela música agitando a galera, a contagem, a preparação pra saída e lá fomos nós...



Tentei fazer o ritmo do Agnaldo, mas ele ainda mantinha uma boa vantagem, sempre à frente, me puxando e gritando: – Vamos, acelera!
Isso mexeu um pouco comigo... sabe, quando é alguém muito próximo, que temos uma certa liberdade e essa pessoa está tentado te puxar, mas está difícil mesmo você dando o seu melhor... chega uma hora em que você não pensa duas vezes em mandá-lo as favas se necessário, mas se for alguém de fora, tipo uma amiga, você fica mais retraída, educada... então foi uma luta, manter a concentração, o ritmo, minha respiração, minha educação, enfim, só pensei na baixa quilometragem e em ver no que ía dar.

Pra testar ainda mais nossa serenidade e espírito esportivo, colou uma dupla mista que nos passou e começou a dançar na nossa frente dificultando a passagem! Pra mim eles jogaram sujo, eu estava filmando com a GoPro, dá pra ver ele fazendo zigue-zague na frente do Agnaldo e parando na minha frente bem numa subida! Ou seja, o moço não pedalava na frente da garota, ele pedalava ao lado dela, dificultando a passagem dos outros competidores! Isso não se faz, mas se eles se sentem bem assim, fazer o que né!
Apesar que se eu insistir no assunto e mostrar o vídeo para a organização, eles podem até ser desclassificados! Ah, deixa pra lá, talvez um dia eles aprendam, nossa justiça é Deus! Mas o vídeo eu vou editar e estará publicado em nosso blog.

Sei que pedalei todo o tempo no meu máximo, não me importando se os meus batimentos estavam a mil por hora, por minuto, por segundo!
Curtimos bastante o percurso, a trilha em si, foi bem sinalizada, com fiscais nos orientando quanto ao percurso ou dificuldades que encontraríamos pela frente, como a próxima descida . Os pontos de água foram cruciais, o último no quilômetro 28, perfeito!
Na chegada tivemos frutas, muita água e um bom prato de macarrão por um preço justo!

Enfim, foi um domingo de curtição, valeu a pena e ninguém tirou o brilho do nosso desafio...









#casaldamagrela
 porque nóis é um time hehe


quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Os sonhos

Como eu gosto de sonhar, quem não gosta?
Gosto de sonhar dormindo e mesmo acordada... e foi acordados que, desde 2008, estamos sonhando em fazer o Caminho de Santiago de Compostela, é só ler o post no link abaixo, escrito em Junho de 2009:

Planejando a viagem

E, com a benção de Deus, o sonho será realizado em 2016!
contando: 9 meses e 19 dias :)

Como disse um amigo ao Agnaldo:
"Chega uma idade em que, se temos vontade, temos que fazer!"

Pois então, que venha esse grande desafio, que já está sendo idealizado...

Tenho uma "prima" (Célia Maciel, mulher de Pedro Maciel Neto meu primo) que já fez o caminho duas vezes, pensei nela para mostrar nosso planejamento e pedir uns conselhos.
Marcamos um almoço e... é claro, sendo a pessoa que é, ela nos surpreendeu.


Nos trouxe os melhores livros, mapas, anotações de amigos que já fizeram o caminho, inclusive de bike, suas credenciais enfim, contando cada etapa, as dificuldades, melhores albergues, melhores cidades para parar por um dia. Também explicou que todo peregrino tem um Padrinho ou Madrinha, nos presenteando com a Concha de Vieira, dizendo que esse é um dos papéis da Madrinha.
Deus nos surpreende! Não são lindas? amei <3


» pesquisando...
Site - O Caminho de Santiago - sobre os Símbolos do Caminho

A concha de Vieira
Um dos principais símbolos do Caminho, a vieira é a concha de um marisco muito encontrado na região costeira da Galícia. De acordo com a lenda, o corpo do Apóstolo, perdido no mar, foi arrastado por correntes marítimas até uma praia da Península Ibérica, chegando intacto e coberto por conchas de vieira. Na Idade Média, a vieira era usada como amuleto contra pragas e maldições. Seu lado côncavo é utilizado em roupas, mochilas ou colares, sendo a concha natural ou com uma pintura de cruz-espada, a cruz de Santiago.

Tirando toda a logística que precisamos para começar o rabisco do nosso sonho, como passagens aéreas, equipamentos para a bike, transportes locais, enfim, cada detalhe... a concha foi o "start", tipo, agora vai...

Sonhe, persevere, lute, creia... "Trust in God, every day, trust in God!"
Jesús le dijo: Yo soy el camino, y la verdad, y la vida... {Juan 14:6}